domingo, 12 de janeiro de 2014

Um Amor Eterno



No meu quarto pôs-me a pensar
Na vida, no seu significado
Sem dar conta comecei a sonhar
Eu sonho muitas vezes acordado.

Não encontrei a vida, a esperança
Não consegui sequer sentir
Os sorrisos perdi-os em criança
E os meus olhos não sabem fingir

Tento encontrar algo perdido
Nunca acho o que quero encontrar
Oiço este coração sofrido
Tudo o que minha mãe me pode deixar

Sem dar por mim acordei
Abri meus olhos molhados
E tudo aquilo que eu sonhei
São momentos há muito passados

A vida é curta, mas pior
É perder outra vida, uma parte de nós
Não deve existir maior dor
Que amar alguém e sentirmos-nos sós

Nada há mais puro na vida
Que os sentimentos mais leais
De quem chora a despedida
De alguém que não volta mais.


Escrito por Henrique Rocha Almeida

Sem comentários:

Melodias de vento

hraphotos Onde procuras o sabor dos beijos conquistas o mundo com esse sorriso. Onde crias lágrimas de saudade Escondes o que eu mais...