segunda-feira, 14 de junho de 2010

Pedras Preciosas

Pedes-me para escrever algo sobre ti. Procuro as palavras mais bonitas e elogiosas e sei que, por muito o desejasse, não tas posso oferecer.
Tenho de escolher entre aquelas, onde serei apenas sincero e ser assim é por vezes ser duro e cruel. Afinal ninguém gosta de sofrer e todos nós, de uma forma ou de outra, procuramos ser felizes, estar bem com a vida, sorrir...
Olhas-me e pensas "Mas quem este gajo pensa que é?"... Como se não tivesse defeitos, apenas e só virtudes! - Rasgas o teu olhar para o abismo e entristeces-te.

Sei que esperavas que te dissesse coisas agradáveis, delicadas, te apoia-se e fosse carinhoso. Eu sou assim, tu bem o sabes mas apenas e só nos momentos certos. Deverias saber que eu não sou falso, nem nas palavras nem nos desejos, pois a nossa amizade não assenta no embuste e no engano. Não sou o amigo das palavras faceis e doces. Não sou o amigo das retiradas estratégicas e das palavras mal(ditas). As minhas palavras não são musica para os teus ouvidos... São o silencio que te ensurdece! - Faço-te pensar, quem sabe chorar, mas estarei sempre lá...onde te demoras e me esperas, para acreditar de novo. Sou contigo, por ti e por mim , ao longo da vida e da nossa existência aprendendo, também, com os teus enganos e desacertos. Estou contigo em consciência, no teu espírito, na paz da tua alma, dormindo no teu pensamento, lugar onde me encontras em pequenos instantes na serenidade da tua procura de refugio.

No teu caminho sei que serei sempre a pedra em que agarrarás em momentos de fúria, para a poderes lançar para bem longe do teu destino, dos teus pensamentos , da tua vida e a fazeres desaparecer para sempre no horizonte.
Não me importo nem te condeno.
Hoje interrogo-te: - Atiras as pedras do teu caminho sempre para a tua frente e nunca para trás de ti. Porquê? - Porque embora eu seja a mais disforme de todas as pedras acreditas que no fundo eu estarei sempre no teu caminho. Hoje, amanhã, depois e mais ainda...

Terás sempre a oportunidade de me agarrar de novo e a fazeres desaparecer continuamente cada vez que te apetecer. Os amigos são assim. Pedras duras, cruas ao olhar, esquecidas por instantes mas constantes e sentidas para sempre. Por muito que desapareçam no horizonte cada lançamento não passa de um descargo de furia, de um até já.
Um dia ao caminhar (como por um acaso do destino), lá darás mais um pontapé nesta pedra rara e singular onde embora gasta pelo tempo permanece e estará sempre lá....Oculta e distante... mas perto o suficiente para te não deixar cair.


Escrito por Henrique Rocha Almeida

2 comentários:

Clau disse...

Muito profundo!

Bliss of Princess disse...

Obrigado por tudo! Tudo mesmo!
As vezes que me elogias, as vezes que acolhes nessa tua sempre atenta amizade, as vezes que me fazes chorar com verdades que me doem, mas que servem para que acorde de pesadelos mascarados de sonhos.
Sempre aqui para ti!
Puseste-me a chorar outra vez...
Beijo enorme, meu grande grande AMIGO!!
Dra. Cara amiga Su (lol)

Caminho

Tu que procuras um caminho e vives numa constante encruzilhada, que te julgas neste mundo, sozinho, à procura de tudo e de nada. Tu, ...